Farmacia italiana online: acquisto cialis in Italia e Roma senza ricetta.

Microsoft word - isolamento de salmonella de produtos de frango e perfil de suscetibilidade dos isolados a antimicrobianos.doc

ISOLAMENTO DE Salmonella DE PRODUTOS DE FRANGO E PERFIL DE
SUSCETIBILIDADE DOS ISOLADOS A ANTIMICROBIANOS
Salmonella ISOLATION FROM POULTRY PRODUCTS AND ANTIMICROBIAL Rita de Cássia dos Santos da CONCEIÇÃO1, Andréa HENTGES1, Ângela Nunes MOREIRA2, Flávia Aleixo VASCONCELLOS3, Ida Maria Ramos ÂNGELO3, José Beiro CARVALHAL2, José Antônio Guimarães ALEIXO2,3, Cláudio Dias TIMM1* 1 Inspeção de Leite e Derivados, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas, 2 Faculdade de Nutrição, UFPel, Pelotas, RS, Brasil. 3 Laboratório de Imunologia Aplicada, Centro de Biotecnologia, UFPel, Pelotas, RS, Brasil. * Inspeção de Leite e Derivados, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, CEP 96010-900, Pelotas, RS, Brasil. E-mail: inspleit@ufpel.tche.br. Autor para correspondência. Salmonella Enteritidis tem sido o principal sorotipo causador de salmonelose. O uso de
antimicrobianos na prevenção e no tratamento dessa infecção, assim como a utilização destes como promotores de crescimento, tem provocado o aparecimento de cepas resistentes. O trabalho teve por objetivo investigar a presença de Salmonella em produtos de frango e
verificar a resistência dos isolados frente a agentes antimicrobianos. Foram analisadas 120 amostras de produtos de frango, segundo metodologia preconizada pela Food and Drug Administration. Salmonella foi isolada de sete (5,83%) amostras e foram identificados quatro
sorotipos, Enteritidis, Newport, Derby e Agona. Enteritidis foi o sorotipo de maior prevalência (71,4%). Trinta e seis (94,7%), 34 (89,5%), 32 (84,2%) e 32 (84,2%) isolados foram sensíveis aos antimicrobianos cloranfenicol, norfloxacina, ciprofloxacina e ampicilina, respectivamente. Trinta e três (86,8%) isolados foram resistentes ao ácido nalidíxico. Todos os isolados (100%) foram sensíveis à ceftriaxona. Vinte e cinco isolados (65,8%) foram resistentes à tetraciclina. Foram encontrados cinco (13,2%) isolados multirresistentes. A fiscalização dos produtos de frango deve ser mais rigorosa, quanto a possível presença de Salmonella. O aparecimento de cepas de Salmonella resistentes a agentes antimicrobianos é
indicativo da necessidade de maior controle no uso desses fármacos. Palavras-chave. Salmonella Enteritidis, sensibilidade a antimicrobianos.
ABSTRACT
Salmonella Enteritidis is the main cause of salmonellosis. The use of antimicrobials to
prevent and to treat this infection, as well their use like growth promoters, has induced the emergency of resistant strains. The aim of this work was to search the presence of Salmonella in poultry products and to investigate the isolates resistance to antimicrobial agents. One hundred and twenty samples of poultry products were analyzed, according to the Food and Drug Administration. Salmonella was isolated from seven (5.83%) samples and four serotypes were identified, Enteritidis, Newport, Derby and Agona. Enteritidis was the most prevalent serotype (71.4%). Thirty-six (94.7%), 34 (89.5%), 32 (84.2%) and 32 (84.2%) isolates were susceptible to chloramphenicol, norfloxacin, ciprofloxacin and ampicillin, respectively. Thirty-three (86.8%) isolates were resistant to nalidixic acid. All isolates (100%) were susceptible to ceftriaxone. Twenty-five isolates (65.8%) were resistant to tetracycline. Five isolates (13.2%) multiresistant were found. The inspection of poultry products must be more rigorous, regarding to the possible presence of Salmonella. The occurrence of Salmonella strains resistant to antimicrobial agents is indicative of more control necessity in Key words. Salmonella Enteritidis, antimicrobial susceptibility.
INTRODUÇÃO
Bactérias do gênero Salmonella estão entre as principais causas de enfermidades
veiculadas por alimentos1. A transmissão desta bactéria a humanos ocorre pela ingestão de carnes mal cozidas, leite, ovos e outros alimentos, como vegetais que são ingeridos crus após sofrerem contaminação cruzada. Produtos e alimentos de origem animal são os principais responsáveis pela distribuição mundial de salmonelose2. Dentre as fontes de contaminação de Salmonella, as carnes são predominantes, tendo a de frango servido como veículo em
numerosos casos de infecções humanas3,4 . Geralmente, a salmonelose é uma infecção autolimitante e não exige tratamento. No entanto, infecções invasivas, incluindo septicemia e meningite, ocorrem em 5 a 10% dos casos confirmados, principalmente entre crianças, idosos e pacientes com o sistema imune comprometido5. O uso de antimicrobianos na prevenção e no tratamento dessas infecções, assim como sua utilização como promotores de crescimento, tem provocado o aparecimento de cepas resistentes6,7. Typhimurium e Newport são sorotipos de Salmonella que têm
O trabalho teve como objetivo investigar a presença de Salmonella em produtos de
frango e verificar a resistência dos isolados frente a agentes antimicrobianos. MATERIAL E MÉTODOS
Amostras
Foram analisadas 120 amostras de produtos de frango (sobrecoxa, coxa e sobrecoxa, coxinha da asa, carne moída, salsichão e fígado), conforme Tabela 1, adquiridas em supermercados da cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, e encaminhadas ao laboratório, sob refrigeração, onde foram analisadas até duas horas após o recebimento. Isolamento e identificação
A pesquisa de Salmonella foi realizada de acordo com a metodologia preconizada pela
Food and Drug Administration10. Nas amostras de sobrecoxa e coxinha da asa, o conteúdo total da embalagem foi lavado em saco plástico estéril com 300 mL de caldo lactosado (CL, Merck, Darmstadt, Germany), deixado em repouso por 30 min a temperatura ambiente e incubado por 24 h a 37oC. Nas demais amostras, foi utilizado pré-enriquecimento com 25 g da amostra em caldo lactosado por 24 h a 37oC. Foram analisadas três a cinco colônias de cada amostra. Os isolados foram enviados ao Departamento de Bacteriologia do Laboratório de Enterobactérias da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz, Manguinhos, Rio de Janeiro) para Teste de sensibilidade a antimicrobianos
O teste de sensibilidade a antimicrobianos foi realizado pelo Método de Difusão em Disco, usando ágar Mueller-Hinton (Acumedia, USA) e incubação a 37°C por 18-24 h, de acordo com o NCCLS11. Os antimicrobianos utilizados foram ampicilina (10mcg), cloranfenicol (30mcg), norfloxacina (10mcg), tetraciclina (30mcg), ácido nalidíxico (30mcg), ceftriaxona (30mcg) e ciprofloxacina (5mcg) (Sensidisc, DME, São Paulo). Foram realizados antibiogramas nos isolados obtidos das amostras analisadas neste experimento e em 26 isolados de Salmonella, obtidos de sete amostras de carne moída de frango, previamente
RESULTADOS E DISCUSSÃO
Os resultados da pesquisa de Salmonella nos produtos de frango estão demonstrados na
Tabela 1. Salmonella foi isolada de 7 (5,83%) amostras e foram identificados quatro
sorotipos, Enteritidis, Newport, Derby e Agona. Enteritidis foi o sorotipo de maior prevalência (71,4%) dentre os produtos de frango analisados, o que também tem sido observado por outros autores, que têm relatado prevalência de Salmonella mais elevada do
que a encontrada no presente estudo. Baú et al.13 analisaram 124 amostras de produtos de frango obtidas em supermercados e açougues de Pelotas, Rio Grande do Sul, e isolaram Salmonella de 10,48% das amostras, sendo o sorotipo Enteritidis predominante (77%) entre
os isolados. Matheus et al.14 analisaram 102 amostras de carcaças de frango resfriadas, comercializadas no município de Bauru, São Paulo e isolaram Salmonella de 6 amostras (5,9%), sendo o sorotipo Enteritidis (66,7%) o mais isolado. Mayrhofer et al.15 identificaram Salmonella em 16,4% de 281 amostras de carne de frango analisadas na Áustria. Antunes et
al.16 isolaram Salmonella de 36 (60%) amostras de produtos de frango de um total de 60
coletadas na cidade de Porto, Portugal. Dez sorotipos foram identificados, sendo Enteritidis o Tabela 1: Resultados da pesquisa de Salmonella em 120 amostras de produtos de frango.
Produtos de frango
Amostras positivas/amostras
Sorotipos
analisadas
A presença de dois sorotipos em uma mesma amostra foi observada no presente trabalho. Salmonella Enteritidis e Salmonella Agona foram identificadas em uma amostra de
salsichão de frango. A presença de mais de um sorotipo de Salmonella em uma mesma
amostra também foi observada por Mayrhofer et al.15, que identificaram Salmonella
Enteritidis e Salmonella Heidelberg em uma amostra de carne de frango. Este fato salienta a
importância de serem enviados aos laboratórios de referência mais de um isolado para sorotipagem, uma vez que a presença de mais de um sorotipo em uma mesma amostra pode fornecer informações importantes quanto à epidemiologia da salmonelose. Suscetibilidade à ampicilina, à ciprofloxacina, à norfloxacina, à tetraciclina, à ceftriaxona, ao cloranfenicol e ao ácido nalidíxico foi investigada em todos os isolados. Os resultados dos antibiogramas encontram-se demonstrados na Figura 1. Foram analisados 34 isolados, sendo oito identificados neste experimento. Trinta e dois (94,1%), 30 (88,2%), 28 (82,4%) e 28 (82,4%) isolados foram sensíveis aos antimicrobianos cloranfenicol, norfloxacina, ciprofloxacina e ampicilina, respectivamente. Esses resultados foram similares aos encontrados por outros pesquisadores13,17,18. Delicato et al.19, investigando o perfil de resistência de 21 cepas de Salmonella isoladas de infecções humanas, verificaram que 50%
dos isolados de Salmonella Enteritidis apresentaram resistência a antimicrobianos, sendo o
maior percentual de resistência observado em relação à ampicilina (85,7%). Sensível
Intermediário
Resistente
ero de isolados 15
úm 10
Ácido nalidíxico Norfloxacina Cloranfenicol Ceftriaxona Ciprofloxacina Tetraciclina Antimicrobianos
Figura 1: Perfil de suscetibilidade de isolados de Salmonella frente a antimicrobianos.
Trinta e um (91,2%) isolados foram resistentes ao ácido nalidíxico. Resistência a esse antimicrobiano tem sido observada por outros autores15,16,20. No entanto, Carraminãna et al.17, Fernandes et al.18 e Oliveira et al.21 verificaram mais de 90% de sensibilidade de Salmonella
Todos os isolados (100%) foram sensíveis à ceftriaxona. Esses resultados são similares aos observados por Baú et al.13, Delicato et al.19 e Stephen et al.22. Pickering23 analisou a sensibilidade de 1.419 isolados de Salmonella e 2% foram resistentes a ceftriaxona.
Cefalosporinas de terceira geração, como a ceftriaxona, são comumente empregadas no tratamento de salmoneloses invasivas em crianças devido às suas propriedades farmacodinâmicas e à baixa prevalência de resistência encontrada frente a esses A tetraciclina tem sido um dos antimicrobianos mais utilizados em animais de produção16,21, porém, em medicina humana, é considerada uma droga de segunda escolha15. Vinte e cinco isolados (65,8%) foram resistentes à tetraciclina, sendo que 19 apresentaram apenas resistência parcial. Fernandes et al.18, Oliveira et al.21 e Pickering23 identificaram 23%, 20% e 15,4%, respectivamente, de Salmonella resistentes à tetraciclina.
Neste trabalho, um isolado foi considerado multirresistente quando apresentou resistência a três ou mais antimicrobianos. Foram encontrados cinco (13,2%) isolados multirresistentes, sendo que um (2,6%) foi resistente a cinco antimicrobianos, ampicilina, norfloxacina, tetraciclina, ácido nalidíxico e ciprofloxacina, e dois (5,3%) foram resistentes a seis dos antimicrobianos testados, ampicilina, cloranfenicol, norfloxacina, tetraciclina, ácido CONCLUSÕES
A fiscalização dos produtos de frango oferecidos ao consumo humano deve ser mais rigorosa, quanto a possível presença de Salmonella. A ocorrência de Salmonella
multirresistentes a antimicrobianos em produtos de frango potencializa o perigo representado pela presença desse patógeno em alimentos. O aparecimento de cepas de Salmonella
resistentes a agentes antimicrobianos é indicativo da necessidade de maior controle no uso REFERÊNCIAS
1. D`Aoust J, Maurer J, Bailey JS. Salmonella species. In: Doyle MP, Beuchat LR, Montville TJ, editores. Food microbiology: fundamental and frontiers. 2th ed. Washington: ASM; 2001. 2. Jay JM. Microbiologia moderna de los alimentos. 3rd ed. Zaragoza: Editorial Acribia; 1992. 3. Peresi JTM, Lima IAZC, Tavechio AT, Fernandes SA, Gelli DS. Salmonella: determinação de sorotipos e resistência a agentes microbianos de cepas isoladas de carcaças de frango comercializadas na região de São José do Rio Preto-SP. Rev Inst Adolfo Lutz. 1999; 58 (1): 4. Sumner J, Raven G, Givney R. Have changes to meat and poultry food safety regulation in Australia affected the prevalence of Salmonella or of salmonellosis? Int J Food Microbiol. 5. Chiappini E, Galli L, Pecile P, Vierucci A, Martino M. Results of a 5-year prospective surveillance study of antibiotic resistance among Salmonella enterica isolates and ceftriaxone therapy among children hospitalized for acute diarrhea. Clin Ther. 2002; 24 (10): 1585-94. 6. Threlfall EJ, Ward LR, Frost JA, Willshaw GA. The emergence and spread of antibiotic resistance in food-borne bacteria. Int J Food Microbiol. 2000; 62: 1-5. 7. White DG, Zhao S, Simjee S, Wagner DD, Mcdermott PF. Antimicrobial resistance of food-borne pathogens. Microb Infect. 2002; 4: 405-12. 8. Angulo FJ, Baker NL, Olsen SJ, Anderson A, Barret TJ. Antimicrobial use in agriculture: controlling the transfer of antimicrobial resistance to humans. Sem Pediatr Infect Dis. 2004; 9. Yan SS, Pendrak ML, Abela-Ridder B, Punderson VMD, Fedorko DP, Foley SL. An overview of Salmonella typing public health perspectives. Clin Appl Immunol Rev. 2003; 4: 10. FDA. Salmonella. Bacteriological analytical manual online, Chapter 5, 2006. Disponível em: <http://www.cfsan.fda.gov/~ebam/bam-5.html>. Acesso em: 12 jun. 2006. 11. NCCLS. Performance standards for antimicrobial disk and dilution susceptibility test for bacteria isolated from animals, Approved Standard, 2nd ed. M31-A2. National Committee for Clinical Laboratory Standards, Wayne (PA), USA, 2002. 81 p. 12. Conceição RCS. Detecção de Salmonella em produtos de frango usando a separação imunomagnética [Dissertação de Mestrado]. Pelotas, Rio Grande do Sul: Universidade 13. Baú AC, Carvalhal JB, Aleixo JAG. Prevalência de Salmonella em produtos de frangos e ovos de galinha comercializados em Pelotas, RS, Brasil. Ciênc Rural. 2001; 31 (2): 303-7. 14. Matheus DP, Rudge AC, Gomes SMM. Ocorrência de Salmonella spp em carne de frango comercializada no município de Bauru, SP, Brasil. Rev Inst Adolfo Lutz. 2003; 62 (2): 111- 15. Mayrhofer S, Paulsen P, Smulders FJM, Hilbert F. Antimicrobial resistance profile of five major food-borne pathogens isolated from beef, pork and poltry. Int J Food Microbiol. 2004; 16. Antunes P, Réu C, Sousa JC, Peixe L, Pestana N. Incidence of Salmonella from poultry products and their susceptibility to antimicrobial agents. Int J Food Microbiol. 2003; 82: 97- 17. Carramiñana JJ, Rota C, Agustín I, Herrera A. High prevalence of multiple resistance to antibiotics in Salmonella serovars isolated from a poultry slaughterhouse in Spain. Vet 18. Fernandes SA, Ghilardi ACR, Tavechio AT, Machado AMO, Pignatari ACC. Phenotypic and molecular characterization of Salmonella Enteritidis strains isolated in São Paulo, Brazil. Rev Inst Med trop S Paulo. 2003; 45 (2): 59-63. 19. Delicato EL, Mickcha JMG, Fernandes SA, Pelayo JS. Resistance profile to antimicrobials of Salmonella spp. isolated from human infections. Braz Arch Biol Technol. 20. Calixto AER, Serafini AB, Kipnis A, André MCDP. Prevalência de Salmonella e ocorrência de cepas resistentes a antimicrobianos, em insumos de rações para aves produzidos por um matadouro-frigorífico com fiscalização permanente, em Goiânia, GO. Hig Alim. 21. Oliveira SD, Flores FS, Santos LR, Brandelli A. Antimicrobial resistance in Salmonella Enteritidis strains isolated from broiler carcasses, food, human and poultry-related samples. Int J Food Microbiol. 2005; 97(3): 297-305. 22. Stephen JM, Toleman MA, Walsh TR, Jones RN, SENTRY Program Participants Group. Salmonella bloodstream infections: report from SENTRY Antimicrobial Surveillance Program (1997-2001). Int J Antimicrob Agents. 2003; 22: 395-405. 23. Pickering LK. Antimicrobial Resistance Among Enteric Pathogens. Sem Pediatr Infect CONCEIÇÃO, Rita de Cássia dos Santos da, HENTGES, Andrea, MOREIRA, Angela Nunes, VASCONCELLOS, Flávia Aleixo, ÂNGELO, Ida Maria Ramos, CARVALHAL, José Beiro, ALEIXO, José Antônio Guimarães, TIMM, Cláudio Dias. Isolamento de Salmonella de produtos de frango e perfil de suscetibilidade dos isolados a antimicrobianos. Revista do Instituto Adolfo Lutz, v.66, p.31-
34, 2007.

Source: http://fvet.ufpel.tche.br/inspleite/documentos/2007/Salmonantibiograma.pdf

Microsoft word - 946477_e_fi_07-11-25_avelox400infusion.doc

ZUSAMMENFASSUNG DER MERKMALE DES ARZNEIMITTELS (FACHINFORMATION) BEZEICHNUNG DES ARZNEIMITTELS Avelox 400 mg - Infusionslösung 2. QUALITATIVE UND QUANTITATIVE ZUSAMMENSETZUNG Moxifloxacin 1,6 mg/ml (400 mg/250 ml) (als Moxifloxacinhydrochlorid). Sonstiger Bestandteil: Die Infusionslösung (250 ml) enthält 34 mmol Natrium (siehe Abschnitt 4.4). Die vollständige Auflis

28 05 2002

INNEHÅLL: 1. HUR FUNGERADE HEMSJUKVÅRDEN?.3 3. KÄNDE NI ER TRYGGA MED VÅRDFORMEN?.7 5. FICK NI DEN INFORMATION NI BEHÖVDE OM SABH INNAN HEMGÅNGEN?.11 7. FICK NI KONTAKT MED OSS VID BEHOV?.13 9. KUNDE VI HÅLLA ÖVERENSKOMNA TIDER?.15 10. OM NEJ, FICK NI MEDDELANDE OM ÄNDRINGEN I GOD TID?.16 11. HAR BARNET VÅRDATS PÅ SJUKHUS VID NÅGOT ANNAT TILLFÄLLE?.17 12. OM JA,

Copyright © 2010-2014 Pdf Pills Composition